Lindsey Buckingham: 70 anos

O mundo da música está em festa! Hoje, o fantástico guitarrista/compositor/cantor LINDSEY ADAMS BUCKINGHAM completa 70 primaveras, muitos desses anos dedicados ao Fleetwood Mac e a projetos solo, sempre com muito bom gosto e perfeccionismo que o caracterizaram.

Nascido em Palo Alto, Califórnia, Lindsey começou a se interessar pela música muito cedo, com 11 anos de idade. Aos, 13, ganhou sua primeira guitarra (nunca teve aulas de guitarra tampouco estudou música), e foi aos poucos desenvolvendo seu estilo de tocar, no início, muito inspirado no Folk e no Country.

LB3

Em 1973, junto com Stevie Nicks – a qual Buckingham conhecera na época de colégio – lançou seu primeiro disco solo, intitulado Buckingham Nicks. O álbum foi um fracasso, entretanto, a canção ”Frozen Love” chamou a atenção de Mick Fleetwood, que o convidou para substituir Bob Welch no Fleetwood Mac, convite que Lindsey só aceitaria se Stevie Nicks fosse junto com ele. Assim foi e o resto é história.

Em 1988, após o lançamento de Tango In The Night, Buckingham decide deixar o Fleetwood Mac, alegando dois motivos: O primeiro era a vontade de ter mais liberdade artística e poder experimentar outras influências que não combinariam com a banda. O segundo era se afastar definitivamente de Stevie Nicks com a qual Lindsey teve uma relação amorosa conturbada, e a convivência em estúdio, turnês etc o estavam saturando.

LB2

Ainda na década de 80, enquanto no Fleetwood Mac, o guitarrista já havia lançado dois discos solo bem interessantes; Law and Order (1981), com destaque para a faixa ”Trouble”, que contava com a participação de Mick Fleetwood e Christine McVie, e Go Insane (1984). A última música deste álbum ”D.W. Suite” é um tributo ao recém falecido Dennis Wilson, ex-baterista dos Beach Boys.

Buckingham passou boa parte dos anos seguintes no estúdio, trabalhando em seu terceiro álbum solo, Out of the Cradle, lançado em 1992. Muitas das músicas tratam de seu relacionamento com Nicks e sua decisão de deixar o grupo.

LB1

Ainda em 1992, uma curiosidade fez Lindsey voltar a sua antiga banda por alguns instantes: O novo presidente eleito dos EUA, Bill Clinton, pediu ao Fleetwood Mac que se reunisse para apresentar a música que ele havia escolhido para sua campanha, “Don’t Stop”, em sua cerimônia inaugural. Buckingham concordou em fazer parte da apresentação, contudo, deixou claro que não havia qualquer intenção de uma possível reunião.

LB5

Enquanto compunha material para um quarto álbum solo, Buckingham contatou Mick Fleetwood para participar de uma música. A colaboração durou muito mais do que o previsto, e os dois decidiram convocar Stevie Nicks, John e Christine McVie. A antiga química da banda estava lá, e os planos para uma turnê começaram a surgir. Em 1997, Buckingham anuncia a turnê de reunião da banda intitulada The Dance, obtendo um enorme sucesso e cicatrizando o dano que havia sido causado entre Buckingham e seus colegas de banda.  Poderíamos passar dias falando sobre a importância de Lindsey para a música pop, já que ele ainda está em atividade e lançou recentemente um disco com Christine McVie muito bem recebido pela crítica, prova de que mesmo após muito tempo ainda consegue ser manter relevante no cenário musical. PARABÉNS, LINDSEY BUCKINGHAM!!!

A text by @lukaspiloto7twister

 

 

Anúncios

Autor: Luc Rhoads

Um grande apaixonado por música e aventuras. Carioca, estudante de Educação Física, professor de inglês e vascaíno doente.

Deixe um comentário