Take On Me: A Obra-Prima do A-ha

Existem certas músicas que estão em um nível totalmente acima do comum, são perfeitas, ideais, são grandes obras de arte, e certamente “Take On Me”, o hit da banda norueguesa de synthpop A-ha está entre elas.

Em 1984, o A-ha estava buscando começar sua carreira, mas havia abortado um contrato de gravadora e voltado para a Noruega para compor demos em uma casa afastada da cidade. Entre essas demos surge Take On Me, em uma versão completamente diferente, sem os vocais do refrão e sem a famosa frase de teclado da introdução. Conseguindo um contrato com a Warner Bros. Records, a banda gravou o single, que foi um fracasso, alcançando a pior colocação que a banda já teve. Uma segunda gravação também foi feita, mas também não deu certo e não fez sucesso. Até que o executivo da Warner Jeff Ayeroff resolveu colocá-los no grupo de prioridade para lançamentos de video-clipe nos Estados Unidos, enxergando o potencial da banda.

Então temos mais uma gravação, que traz a música como conhecemos, e finalmente sai o clipe de Take On Me que, pioneiro nas animações misturadas com cenas “reais”, que é um dos vídeos mais icônicos dos anos 80 e da à música o reconhecimento que ela merece. Take On Me atingiu o topo das paradas americanas, tornando o A-ha a primeira banda norueguesa a ter tal feito. Além disso a banda ganhou 6 de um total de 8 indicações para o MTV Music Video Awards, o dobro que Michael Jackson conseguiu com Thriller.

Assim alcançou o sucesso uma obra-prima, uma canção pop que em pouco menos de 4 minutos diz muito, traz uma introdução que, mesmo hoje em dia, é reconhecida assim que tocada. A harmonia, a melodia, o ritmo oitentista abriram as portas para o A-ha, garantindo seu sucesso nos posteriores trabalhos. A voz de Morten Harket também se destacou, consolidando-se com a subida no refrão de Take On Me, que como ele mesmo afirma trata de mais do que uma música: “Mais do que qualquer outra música que canto, ela tem uma conexão forte com todos. É um ícone do pop“, ícone que fez para merecer seu lugar nas nossas “100 melhores canções de todos os tempos”.

11/100

Autor: allanfranzner

Guitarrista, amante e entusiasta da música, principalmente do rock n' roll!

Deixe um comentário