45 anos de “Fulfillingness’ First Finale”: Um dos melhores discos do mestre Stevie Wonder.

Neste ano, completa-se 45 anos de lançamento de “Fulfillingness’ First Finale”, o último disco e o de maior sucesso que Stevie fez com os magos dos sintetizadores Robert Margouleff e Malcolm Cecil, que o ajudaram em sua transição de gênio infantil na década de 60, para superstar adulto na década de 70.

As sessões de gravação poderiam ter durado três dias inteiros. Stevie gravava em diferentes canais a bateria, que tocava de forma autodidata (Inclusive, muitos até hoje simplesmente desconhecem o fato de Mr. Wonder ser um exímio baterista) e as incríveis linhas de baixo criadas no sintetizador Moog, invocando grooves fascinantes. Era a matéria prima para exalar canções Pop perfeitas, com toda a elegância do Soul, e a malemolencia do Funk, mas também com todo o drama e complexidade de uma composição altamente sofisticada e clássica, afinal, estamos falando de um discaço de um verdadeiro gênio da música americana.

As faixas foram gravadas depois do acidente de carro quase fatal que Stevie sofreu, em 6 de agosto de 1973, e mesmo assim são mais otimistas do que em “Innervisions” (1973), o maravilhoso, porém um álbum mais raivoso, lançado em 1973. Os destaques pra mim giram em torno da balada Country “Too Shy Too Say”, que traz um vocal bem alá Ray Charles, acompanhado por uma maravilhosa pedal steel guitar. Há também o Funk nervoso de “Boogie On Reggae Woman”, a balada “Creepin”, que invoca um clima meio soturno e de suspense, e a fusão até com ritmos brasileiros em “Bird Of Beauty”, que Stevie canta até um trecho em português de forma muito satisfatória.

O épico Soul/Gospel de “They Won’t Go When I Go” é um maravilhoso tema que remete a orações islâmicas e cantos gregorianos, enquanto que na opinião do autor destas mal traçadas linhas, a melhor música e principal single/sucesso do disco é a engajada “You Haven’t Done Nothing”, uma poderosa canção que revisita o Funk/Rock balançante da clássica “Superstition”, e levou Stevie Wonder pela quarta vez ao primeiro lugar das paradas americanas, e que ainda contou com a luxuosa contribuição dos amigos de Motown nos backing vocals, os The Jackson 5.

“Fulfillingness’ First Finale” é mais um discão que Stevie gravou entre tantos outros na década de 70, onde ele embalou uma sequência simplesmente arrebatadora de álbuns fantásticos. O disco chegou ao primeiro lugar nos Estaids Unidos, e foi também o terceiro álbum seguido de Stevie a ser indicado ao Grammy de melhor álbum do ano, um recorde incrível que ele carrega até os dias de hoje. Neste aniversário de 45 anos, pegue o vinil de “Fulfillingness’ First Finale”, o CD, o streaming (Ou seja lá a forma que você prefere ouvir música) e ouça este formidável disco que é uma das peças fundamentais da discografia de um dos maiores gênios da história da música Pop.

 

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário