70 anos da personificação demoníaca do Rock

Pense em Rock ‘N’ Roll. Muito provavelmente, uma das primeiras imagens que virá à sua cabeça será a de Gene Simmons e seu “baixo-machado”. Essa figura icônica e importantíssima do Rock está completando hoje 70 anos!

Filho de judeus sobreviventes do holocausto (sendo Israelita-Americano), Gene Klein era, desde muito cedo, apaixonado por música. Presenciou a Invasão Britânica, ficando fascinado pelos Beatles, que o próprio cita como sua maior influência.

No início dos anos 70, após conhecer seu maior parceiro, Paul Stanley, fundou o Wicked Lester, que seria o embrião do Kiss (tendo inclusive um álbum, nunca lançado).

Mas a história realmente começou a ser feita em 1973, com a formação do Kiss, que bem, dispensa apresentações. Mais do que uma banda, uma instituição. Ditando as regras do jogo, com característico uso de maquiagens, criando uma persona para cada membro, além, é claro, das icônicas pirotecnias.

Pirotecnias essas que se tornaram estandartes nos shows da banda. Gene cuspindo sangue, fogo, e tudo mais, num “Psycho Circus” sem fim. Mas não pense que essas distrações ofuscam o som da banda. Se alguém duvida das habilidades de Gene no baixo, ouça “Parasite”. Um petardo!

Gene Klein “Simmons” possui um legado inestimável. Não se pode questionar sua influência, mais do que na música, na cultura pop e no showbiz. De uma visão mercadológica impressionante, afinal, que outro cara pensaria em lançar quatro discos solo de membros da banda simultaneamente (1978), mercenário ou inovador? Bem, ambos. E aos 70 anos, nada nos resta a não ser desejar Long Live “The Demon”!

Autor: Caio Braguin

16 anos, baterista, aficionado por música (e todas as formas de arte) desde o berço. Música é minha vida!

Deixe um comentário