65 anos do cara que honrou como ninguém o nome ELVIS!

Hoje é dia de celebrar a vida, a obra e o talento de um dos caras mais esquecidos quando vamos discutir sobre os gênios da música: ELVIS COSTELLO. Um cara importantíssimo no grande cenário do Punk Rock e da New Wave, emergentes no final da década de 70, além de ser um baita compositor e produtor, não à toa escolhido por Paul McCartney para gravar o disco que recolocara a carreira de Macca nos trilhos, o fantástico Flowers In The Dirt, de 1989.

Nascido em Londres, desde antes de se destacar no cenário nacional e mundial, Costello já era visto por muitos como um cara diferente, desde a sua época de Pub Rock. O seu alcance musical é impressionantemente amplo. Certo crítico escreveu que “Costello, a enciclopédia do pop, pode inventar o passado sob sua própria imagem”.

EC1

Teve diversos empregos enquanto começou a compor, e iniciou uma tentativa agressiva de conseguir um contrato, o que provocou o incidente de uma prisão por atitute suspeita no local de uma reunião de executivos de gravadora. Depois de mandar uma fita demo, foi contratado pela Stiff Records. O empresário na Stiff, Jake Rivera, sugeriu a mudança de nome (usando o primeiro nome de Elvis Presley e o sobrenome artístico de seu pai, “Day Costello”, para formar “Elvis Costello”) e juntou-o com uma banda de country/soft rock chamada “Clover”.

O primeiro álbum de Costello, o espetacular MY AIM IS TRUE (1977) foi de um sucesso comercial moderado, com ele aparecendo na capa usando os óculos que se tornariam sua marca registrada. Este lançamento viu Costello promovido por Stiff como um artista new wave e punk rock, apesar do fato de o álbum apresentar a balada “Alison” (uma de suas canções mais conhecidas). No mesmo ano Costello recrutou sua própria banda, The Attractions, composta por Steve Nieve (piano), Bruce Thomas (baixo) e Pete Thomas (bateria).

Logo após do lançamento de seu segundo disco (outro que recomendo fortemente) THIS YEARS MODEL (1978) aconteceu um dos incidentes mais inusitados da carreira de Costello, o que mostra também o seu lado crítico e autônomo, não cedendo às pressões de mercado, gravadora ou produtor.

EC2

Costello participou do Saturday Night Live. Durante os ensaios, ele e o Attractions tocaram “Less Than Zero”. Mas quando chegou a hora da apresentação, fizeram apenas a introdução da música e então , para o choque dos produtores do programa, parou tudo, desculpou-se com a platéia e começou uma versão de “Radio, Radio”, que o programa pediu que não tocassem devido a sua mensagem anticorporativista (Costello também afirmou achar que “Less Than Zero” não faria muito sentido para o público americano). O produtor Lome Michaels ficou furioso, não só com o desafio de Costello mas também porque o programa foi tirado do ar. Costello só seria convidado a tocar no Saturday Night Live novamente em 1989, não aparecendo em mais nenhum programa de televisão americano nos anos seguintes a esse incidente.

1979 foi sem dúvida nenhuma o ano do auge do sucesso comercial de Costello com o lançamento de Armed Forces (intitulado originalmente de Emotional Fascism). Inspirada pelas turnês constantes, com a banda muito bem entrosada e Costello evoluindo notavelmente seu talento de compositor, passando a tratar de assuntos pessoais e políticos. Também encontrou tempo naquele ano para produzir o álbum de estreia da banda de ska The Specials.

Nos anos que se seguiram, Costello continuou lançando discos de alto nível, mesmo que nem todos tenham atingido sucesso comercial que merecia, como o fantástico TRUST (1981) e KING OF AMERICA (1986), além de firmar duas parcerias muito interessantes com Paul McCartney, já citado, que além do Flowers In the Dirt, compôs com Costello várias das músicas que entraram eu seu álbum de 1989 chamado SPIKE (RECOMENDADÍSSIMO) e Geof Emerick, responsável por ser o engenheiro de som de várias gravações dos Beatles, com o qual trabalhou no seu disco de 1982 chamado IMPERIAL BEDROOM.

EC3
08

Uma curiosidade sobre a carreira de Costello foi Em 1989, ele participou de um especial pela HBO, Roy Orbison and Friends, A Black and White Night, estrelando seu ídolo de longa data Roy Orbison, e foi convidado a participar do Saturday Night Live pela primeira vez desde 1977, após o polêmco incidente supracitado.

Com uma carreira extensa e muitos trabalhos notáveis, não será possível abordar tudo aqui, mas uma coisa eu lhes garanto: Ouçam Elvis Costello, além dos discos listados, há outros que de qualidade igual, e notem a evolução de um artista que, se não nasceu completo, se tornou com o passar dos anos. UM GÊNIO MUSICAL!

A text by @lukaspiloto7twister

Anúncios

Autor: Luc Rhoads

Um grande apaixonado por música e aventuras. Carioca, estudante de Educação Física, professor de inglês e vascaíno doente.

Deixe um comentário