O segundo ato da Ópera Rock de King Diamond – 30 anos de Conspiracy

Não é muito comum ver aristas lançarem discos em anos diferentes e entre eles haver uma sinergia, uma ligação e uma continuação, mas foi isso que King Diamond fez. Em 1988, lança o ótimo THEM, e, no ano seguinte, CONSPIRACY chegava às lojas. Este último sendo o alvo desse texto que vos escrevo. O quarto álbum solo de Diamond,uma ópera Rock que trata sobre um rei adulto tentando recuperar seu lugar de direito como herdeiro da Casa de Amon.

KD3

Exatos 30 anos após seu lançamento, Conspiracy pode não ter o nível de sua ”primeira parte”, mas é um trabalho ousado e competente de Diamond, tendo momentos bem interessantes, tal qual a faixa de abertura ”At The Graves”, com seus 9 minutos de duração. Guitarras harmonizadas, vocal extremamente agudo e todas as marcas registradas de King desde seu início no Mercyful Fate estão presentes na faixa. Um ótimo cartão de visitas.

Não é preciso dizer que Conspiracy tenha muitos momentos dignos de headbanger, como “Lies”, “Amon Belongs To Them” e “Victimized” faz com que o álbum já valha a pena uma audição. “Lies” tem riffs de guitarra parecidos com “Stand Up and Shout” de Dio, completo com um solo técnico de guitarra (aliás, as guitarras desempenham um papel majestoso, méritos a Andy LaRocque e Pete Blakk).

KD4

Como em outros álbuns, os vocais de King Diamond estão perfeitos, especialmente suas partes de falsete que são bem características. “Sleepless Nights” contém o melhor desempenho vocal de King, onde ele tira o máximo proveito de seu extenso alcance vocal. A peça de guitarra de Andy Larocque e Pete Blakk é fenomenal, evidenciado em seus solos para músicas como “A Visit from the Dead”, que é bem complexa. O baixo de Hal Patino é muito bem executado, seguindo as ”gutarras gêmeas” da dupla supracitada. A bateria de Mikkey Dee é técnica sem depender principalmente de andamentos rápidos, e sua execução funciona muito bem nas partes mais cheias de suspense de Conspiracy, como em “The Wedding Dream”.

KD2

Sem muitas novidades mas com muita eficiência e técnica, Conspiracy merece uma chance a quem não o escutou com a devida atenção. Afinal de contas, um dos maiores vocalistas do Metal de todos os tempos merece esse crédito e essa oportunidade, já que King sempre prezou pela qualidade e pelo fazer bem feito. APRECIEM!!!

A text by @lukaspiloto7twister

Anúncios

Autor: Luc Rhoads

Um grande apaixonado por música e aventuras. Carioca, estudante de Educação Física, professor de inglês e vascaíno doente.

Deixe um comentário