50 anos de “Hot Buttered Soul”: Isaac Hayes provocando uma revolução.

No ano de 1969, a Soul Music estava fervilhando em criatividade e nível de qualidade musical, e vários dos maiores artistas do seguimento estavam prontos para o dar os passos necessários rumo ao apogeu. Neste mesmo ano, mas precisamente em junho, o maravilhoso músico, cantor e compositor Isaac Hayes lançou um disco que até hoje é considerado como um marco revolucionário para o gênero! Trata-se do álbum “Hot Buttered Soul”, o segundo registro de sua carreira.

Isaac Hayes album cover

“Hot Buttered Soul” é considerado por muitos como um dos pontos altos da carreira de Hayes, ao lado da trilha sonora de “Shaft” (1972) e “Black Moses” (1971). Neste disco, Hayes apresenta uma “pequena” coleção de quatro músicas. Sim, isto mesmo, apenas quatro músicas, mas que seriam mais do que suficientes para elevar o gênero Soul para outro nível. Essas quatro faixas levam um certo tempo para se desenvolverem, e revelam seus encantos aos poucos e em etapas, mostrando a importância do ouvinte em apreciar uma obra completa com paciência e paixão. É verdade que a idéia de se ter músicas longas às vezes pode soar como algo tedioso no papel, mas não se enganem, no registro gravado, a experiência é algo simplesmente de tirar o fôlego. Vamos agora para um pequeno review das quatro músicas do disco:

01. “Walk on By”: A clássica faixa que abre o álbum é uma verdadeira viagem de montanha russa de diferentes emoções, com um balanço Soul malemolente, um belíssimo arranjo de cordas, e solos de guitarra melodiosos e ao mesmo tempo bem Funky, é simplesmente uma pérola emocionante de 12 minutos!

02. “Hyperbolicsyllabicsesquedalymistic”: A segunda faixa é um petardo Funk com um groove matador. São quase 10 minutos praticamente de convite a dança, onde a guitarra e a maravilhosa linha de baixo formam um conjunto perfeito para fazer seu esqueleto sacudir e dançar sem parar, e também com direito a um solo de piano arrebatador na parte final! PS: Se você nem ao menos sentir vontade de dançar uma única vez nesta música, já pode assinar o seu atestado de vegetal ambulante!

03. “One Woman”: Na terceira faixa temos uma lindíssima balada Soul onde tanto o maravilhoso arranjo orquestral, quanto a interpretação vocal de Hayes e das maravilhosas backing vocals no fundo, são capazes de fazer até os mais duros de coração lacrimejarem, tamanho é a beleza desta música!

04. “By the Time I Get to Phoenix”: A quarta e última faixa do disco é uma mais uma montanha russa só que desta vez de proporção ainda maior com quase 19 minutos de duração! Os primeiros nove minutos quase que parecem um recital, com Hayes narrando uma história em cima de um instrumental bem minimalista e cadenciado. Logo depois, uma melodia maravilhosa passa a ser cantada por ele enquanto que um divino arranjo de cordas entra no fundo formando um casamento perfeito com um naipe de metais incrível, enquanto que a cozinha simplesmente dá um show à parte, com Hayes cantando com uma emoção profunda, como se estivesse no Paraíso na ante-sala de Deus! É uma daquelas músicas que fariam até mesmo Adolf Hitler cair em prantos! Sério, é quase uma experiência espiritual e transcendental ouvir essa faixa até o final. Que pérola!

Isaac Hayes Stage

Para finalizar, “Hot Buttered Soul” é um marco maravilhoso na Black Music americana, um disco onde se encontra a perfeita união entre a beleza e a calmaria do Soul, com a pegada dançante e forte do Funk! Simplesmente um clássico maravilhoso, absoluto e obrigatório para todos os apreciadores do gênero.

Anúncios

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário