45 anos de uma das maiores performances ao vivo da história!

Com sua carreira consolidada e tentando explorar ao máximo o sucesso de seus discos anteriores, Gallagher volta à estrada para fazer aquilo que é sua maior paixão: OS PALCOS

E, em 1974, é lançada o que é considerado por muitos um dos maiores discos ao vivo de todos os tempos. Um disco que capta a banda em seu estado pleno, altamente bem entrosados, e com um Rory Gallagher no seu auge, fazendo de cada show como se fosse o último de sua carreira. Durante a IRISH TOUR, Gallagher disse:

rory_gallagher-845x650

”Eu amo a platéia, e amo tocar para as pessoas. Não importa se são 30 mil ou 300, se tiver apenas uma pessoa para me ouvir lá estarei eu e minha Stratocaster para agradá-lo”.

O disco traz o registro de 3 shows: um no BELFAST’S ULSTER HALL, outro no DUBLIN’S CARLTON CINEMA e CORK’S CITY HALL.

Em 1974, os constantes ataques e ameaças feitas pelo IRA faziam com que muitos artistas não se apresentassem na Irlanda do Norte, deixando o país cada vez mais isolado do mapa artístico. A maioria dos artistas se recusou a tocar em Belfast, preocupados com a violência frequente que poderia surgir. Rory foi um dos poucos artistas que conseguiu unir os dois lados, unificando a multidão através de sua música. Um artigo de um jornal diário de Belfast afirmou que “Rory Gallagher nunca esqueceu a Irlanda do Norte, ele retornou ao longo dos anos 70, quando poucos outros artistas de seu calibre não ousaram chegar perto do local”.

rory-gallagher-GettyImages-77695686

As músicas apresentadas em IRISH TOUR são escolhidas principalmente dos lançamentos anteriores de Rory. No entanto, o álbum apresenta algumas versões cover de músicas de artistas como J.B. Hutto, Tony Joe White e Muddy Waters, ídolo de Gallagher, com quem Rory trabalhou anteriormente naquele ano, participando de um disco de Muddy chamado THE LONDON MUDDY WATERS SESSIONS.

Contendo versões definitivas e absolutas de grandes clássicos de sua carreira como Tattoo’d Lady, Cradle Rock, A Million Miles Away, In Your Town, Laundromat etc, além de covers FANTÁSTICOS de verdadeiros standards do Blues como Messin’ With The Kid, Bullfrog Blues e Too Much Alcohol. Interessante ressaltar que a música Walk On Hot Coals, é descrita pelo próprio Gallagher como seu melhor momento de performance, no qual ele credita seu desempenho à emoção de tocar a sua música preferida no lugar onde foi criado.

1_w99uey2k

Dono de um talento acima da média, autodidata em vários instrumentos e um carisma em cima do palco invejável, Rory está na prateleira dos subestimados, uma vez que sempre permeou sua carreira fora dos holofotes e seguindo o seu coração a risca, abrindo mão de uma vaga nos Rolling Stones por exemplo, e de projetos mais ambiciosos com nomes renomados como Jack Bruce, Rory sempre quis estar perto de seus amigos como o baixista Gerry McAvoy (presente em todos os seus discos) e ter a liberdade de fazer ou não fazer o que lhe vier na telha, sendo muitas vezes criticado pelo próprio empresário por não investir em singles ou num som mais comercial e acessível ao grande público. Completam a formação da banda o baterista Rod De’Ath e o tecladista Lou Martin.

Um cara que escolheu remar contra a maré, escolheu brilhar ”em silêncio”, deixando apenas sua fiel escudeira Stratocaster falar por ele, merecedor de todos ou louros e homenagens possíveis. IRISH TOUR é o registro perfeito para alguém que quer começar a ouvi-lo. Blues, Hard Rock, Jams, solos e riffs marcantes… contém tudo o que um disco ao vivo precisa entregar, além de ser extremamente em gravado.

Se por muito tempo ele preteriu os holofotes, agora, 24 anos após sua morte, temos o dever de prestar esse tributo a quem sempre dedicou sua vida e energia a sua maior paixão:  O BLUES

61yMoP6HReL__SL1500_

Anúncios

Autor: Luc Rhoads

Um grande apaixonado por música e aventuras. Carioca, estudante de Educação Física, professor de inglês e vascaíno doente.

Deixe um comentário