John Butler Trio: O encantador som australiano

O John Butler Trio é a banda de John Butler, cantor e multi-instrumentista de cordas australiano, que é o idealizador da obra (os outros músicos que o acompanharam sempre variaram constantemente, tanto que não estão citados neste texto). Seu grande diferencial é o som: misturas de inúmeros estilos, mistura de equipamentos de violão e guitarra, músicas que variam entre grandes composições com arranjos e overdubs a simplesmente voz e violão. Seus shows são energéticos e memoráveis, marcados pelo incrível carisma de John.

John Butler começou como um artista de rua na Austrália no fim dos anos 90, que começou a divulgar seu trabalho com uma fita cassette em 1996, chamada “Searching for Heritage”, que ele distribuiu enquanto ganhava popularidade até que fundou o John Butler Trio, lançando sua estréia independente.

O disco de estréia “John Butler”, lançado em 1998, tem pouquíssima participação da banda, sendo majoritariamente constituido por John com seu violão. O estilo de John é um completo destaque, misturando blues, folk, fingerstyle e roots. Os destaques vão para as músicas “Valley”, “Ocean”, e “Crazy”.

Desde o início sua consciência pop e a capacidade de escrever músicas com letras tocantes e acessíveis também transparecem. O resultado é um disco pouco variado e muito focado no violão e voz, que acaba deixando a desejar pela falta da variedade que ele viria a apresentar posteriormente, mas uma estréia muito digna e um sucesso imensurável tendo em vista o ponto de partida de John.

“Three” é o segundo disco, lançado independentemente também, que rendeu o primeiro sucesso considerável: “Betterman”, um folk-rock energético com o toque pop de John que é certamente um destaque do disco. Temos aqui uma transição para sua fase mais criativa e eclética, e destaco as músicas “Attitude”, “Money”, “Pickapart”, além de “Betterman”.

Em 2005 tivemos o melhor disco do John Butler Trio: “Sunrise Over Sea”. O ápice do Country, Folk, Blues, Funk e Reggae misturados com dosagens perfeitas, simplesmente uma grande obra de arte muito orgânica e sincera. Me vendo com problemas para escolher destaques, vou aqui simplesmente recomendar a audição do álbum na íntegra.

Em 2007 foi lançado o trabalho mais prestigiado de John: “Grand National”. O disco tem instrumentação completíssima, é acessível, agradável, mistura influências, realmente são os pontos positivos característicos de John ainda em alta. Destaco as músicas “Better Than”, “Funky Tonight” e “Fire In The Sky”.

“April Uprising” (2010) foi o sucessor de “Grand National”, e é um disco de transição para uma fase muito influenciada pelo rock, e seguida por “Flesh and Blood”(2014), que manteu o nível alto e demonstra o ponto mais próximo do rock de sua carreira, um dos meus favoritos dentro da discografia. Destaco aqui as músicas “Livin’ In The City”, “Young and Wild”, “Only One: (hit do disco) e “Devil Woman”.

Em 2018, John lançou seu sexto disco de estúdio, “Home”, um disco com uma sonoridade pop predominante que na minha opinião deixa a desejar devido a muitos clichês adotados pelo músico, que entregam um disco sem a crueza característica de seu som que sempre esteve ali. Ainda assim o conteúdo lírico é da maior qualidade e não perde qualidade. John compartilhou que passou por problemas pessoais desde “Flesh and Blood” e eu acredito que estes motivaram muitas das letras. Destaco as músicas “Tahitian Blue”, “Wade in the Water”, “Coffee, Methadone & Cigarretes” e “Tell Me Why”. A crítica aos “clichês” eletrônicos do disco foi grande pelos fãs, e concordo com estes, mas isto não ofusca a beleza do trabalho de John que mantém-se sensacional, na minha opinião.

Espero que tenham gostado da rápida síntese da obra do letrista, instrumentista e cantor John Butler e sua banda, e que os que ainda não conhecem passem a ouvir e apreciar, pois acredtito que a música deste sincero australiano tem o poder de tocá-los.

Anúncios

Autor: allanfranzner

Guitarrista, amante e entusiasta da música, principalmente do rock n' roll!

Deixe um comentário