A melhor banda de Soul Music na atualidade!

Durand Jones & The Indications é uma banda que foi formada por estudantes de música da Universidade de Indiana. Liderados pelo jovem cantor Durand Jones, nascido em Louisiana, e que parece ter saído diretamente de uma estante com discos de vinil de Otis Redding e Charles Bradley. O auto intitulado disco de estréia do grupo veio em 2016 e foi extremamente bom e divertido, mas a composição não foi forte ou original o suficiente para deixar de parecer um projeto de escola pra simular o Stax Soul/Pop dos anos 60. Mas já no segundo álbum dos caras, chamado de “American Love Call” lançado este ano, os arranjos são muito mais bem feitos e espaçados, com cordas, metais e backing vocals, todos discretamente suntuosos, e as composições alcançam status de clássico.

Ainda soando totalmente retrô, simplesmente não existe uma faixa fraca ou mediana, e as mais fortes podem bater de igual para igual com o melhor que se foi feito por Soulmans do calibre de Al Green ou Bobby Womack. Estas incluem faixas como “Listen to Your Heart”, no qual o vocalista Jones observa o anseio de alguém por um breakbeat muito ativo. “Too Many Tears” e “Sea Gets Hotter” são sofisticados Jazz/Pop estilo Sade, enquanto que “Walk Away” é o tipo de música que James Brown cantaria para ganhar alguém de volta, e com sucesso. Simplesmente um discaço e o melhor que eu já ouvi este ano, reforçando pra mim o status ao Durand Jones & The Indications de melhor banda/artista de Soul da atualidade!

As letras são típicas da Soul Music, com histórias de amor e uma pegada social e política, e também traz na bagagem, embora não explícito, todo um contexto racial muito delicado nos Estados Unidos atualmente.

A música do Durand Jones & The Indications é uma viagem á um tempo em que o Soul nascia, era gravado e apresentado assim, com toda a energia de vocais fortes, saxofone e trompetes. E embora seja de uma nova safra de cantores, Durand Jones soa muito como a velha guarda, com músicas de belas melodias e um poder vocal que vai do grave ao agudo com muita segurança.

Talvez não devêssemos pensar em Durand Jones & The Indications em termos contemporâneos ou retrô: Embora o Soul tenha sido criado em meados do século XX, Jones e seus colaboradores sugerem que esta música pode ser sustentada por toda a eternidade, e com a mesma qualidade e paixão que prevalecia na era de ouro do Soul dos anos 60 e 70.

Anúncios

Autor: Felipe Silva

28 anos, paulista, corinthiano, e o mais importante, consumidor compulsivo de música! Rock, Soul, Funk, Blues, Jazz, MPB, que a música boa seja exaltada independente de gênero. God bless you all.

Deixe um comentário