A perfeita estréia solo de Phil Collins.

Phil Collins é um dos maiores e mais influentes bateristas de todos os tempos.

Na banda ‘’Genesis”, ele construiu uma carreira sólida como baterista na era progressiva da banda e depois se encaixou perfeitamente como vocalista após a saída do então vocalista ‘’Peter Gabriel’’, inaugurando então a era pop da banda.

No final dos anos 70, todos os integrantes estavam trabalhando cada um em seu respectivo disco solo, então Phil Collins decidiu começar a elaborar o seu.

Ele se encontrava numa fase turbulenta na sua vida pessoal, pois estava em meio a um processo de divórcio com sua esposa.

Então no ano de 1981, Phil lança sua estréia como artista solo, o excepcional ‘’Face Value’’.

Com 12 faixas em pouco mais de 47 minutos duração, Phil nos presenteia com um dos melhores discos pop de todos os tempos. Ditando como a bateria soaria nos anos 80, fato que nem sempre resultou em grandes trabalhos de terceiros, mas isso não vem ao caso no momento.

A capa é um clássico, é o rosto do grande Phil. Como curiosidade, nos relançamentos atuais a foto foi alterada para o rosto ‘’atual” dele.

Gostaria de destacar:

‘’In The Air Tonight’’: Talvez a música mais famosa da carreira do Phil, é um hit meio improvável. Um acompanhamento bem leve durante quase 4 minutos e com a voz dele meio que falada, que se encontram na virada mais famosa e icônica da história da bateria.

‘’Behind The Lines’’: Outra grande faixa, bem pra cima e dançante, guitarra bem funky, os metais funcionam muito bem.

‘’Droned”: Uma bem climática, com muito foco no Bongo.

‘’Hand In Hand’’: Uma das melhores músicas pop instrumentais que ja ouvi. Excelente do primeiro ao último segundo.

‘’You Know What I Mean’’: Uma faixa orquestrada, mais focada na voz e piano, Phil canta com uma sensibilidade poucas vezes vista.

‘’Face Value’’ é um dos melhores discos do ano de 81 e um dos melhores de toda a década de 80. Definiu a sonoridade daquela era e possui grandes clássicos e na minha opinião merece sua atenção.

Anúncios

Autor: Neto Rocha

22 anos, atleta de futebol e grande entusiasta de uma das coisas mais poderosas inventadas pelo homem, a música.

Deixe um comentário